GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Coca-Cola escreve “olá, morte” em cartaz na Nova Zelândia

O erro aconteceu ao tentar misturar a língua maori com o inglês em uma campanha publicitária no país

O que você lê nessa imagem?

Se você não domina a língua maori, originária dos povos da Nova Zelândia, provavelmente não entendeu nada. Mas o pessoal de lá não captou muito bem o que a Coca-Cola quis dizer nesse anúncio em uma máquina de refrigerantes.

“Kia ora”, no idioma nativo do país, quer dizer algo como “olá”, “bom dia” ou “bem-vindo”, e é bastante usado pelas pessoas como saudação ou despedida. Até aí, tudo bem. O problema está na segunda parte da frase. “Mate” (que em inglês significa “colega”, companheiro”, o que daria uma ótima mistura de idiomas) é o mesmo que “morte” em maori.

De acordo com o site Quartzy, ainda é possível associar a palavra com “infortúnio”, “problema”, “calamidade” e “doença”.

O renascimento de uma língua

Equívocos publicitários à parte, o caso é interessante para mostrar como a língua maori tem crescido no país. Colonizada pelo Reino Unido, a Nova Zelândia proibia (e reprimia) a difusão do idioma local. Até o início do século 20, as escolas não podiam ensiná-lo.

Isso mudou a partir de 1984, quando o governo oficializou a língua e incentivou o seu uso. Em 2013, apenas 3,7% dos neozelandeses falavam maori. O esforço do país visa aumentar em breve essa quantia para 20%, com o plano de todas as escolas oferecerem o ensino do idioma até 2025.

Hoje, o maori está presente em toda a Nova Zelândia: de placas nas estradas a sinais na porta dos banheiros, dá até para usar o Google ou assistir a uma versão de Moana nessa língua. O filme da Disney, assim como a propaganda da Coca-Cola, são exemplos da expansão da cultura do povo maori mundo afora – ainda que de vez em quando ela não aconteça da melhor maneira.