Por Atualizado em 03/04/2012


Boa parte do equipamento militar dos EUA, de armas a veículos, contém peças made in China – escolhidas porque são mais baratas. Se você acha isso surpreendente, ainda não viu nada. Uma nova investigação do Government Accountability Office, espécie de corregedoria do governo americano, descobriu 13 empresas chinesas que oferecem componentes eletrônicos para o caça F-15 e dois modelos de submarino nuclear dos EUA. Sem se identificar, os investigadores compraram as peças. Adivinhe só: eram falsificações, que não funcionavam direito. E não é a primeira vez que isso acontece. No final do ano passado, o Senado descobriu chips falsificados em helicópteros e no avião militar C27-J, onde poderiam causar erros no cockpit.

Mas como as peças chinesas vão parar em aviões, submarinos e armas dos EUA? Elas são compradas por golpistas americanos, que revendem o material a fornecedores do Exército, da Marinha e da Aeronáutica. Segundo o GAO, 40% de todo o aparato militar do país é afetado de alguma forma pelas peças falsificadas. E isso é um risco, claro: porque mais do que pifar ou não funcionar corretamente, os chips podem conter backdoors e outras armadilhas.

Por Atualizado em 02/04/2012


Ele se chama Girls Around Me, e faz o seguinte: escaneia o Foursquare em busca de garotas que estejam perto, e aí fuça automaticamente o Facebook delas em busca de fotos, posts e updates, juntando tudo numa só tela – as moças aparecem num mapa, e é só clicar em cima de cada uma para ver mais detalhes sobre ela. Tecnicamente, ele é legal, pois só utiliza informações disponíveis abertamente na internet (não acessa dados que estiverem configurados como “privados”). Mas é bem assustador também, o que levou o Foursquare a bloqueá-lo – e o desenvolver do app a retirá-lo da App Store. Sorry, stalkers.