Re:Bit Re:Bit

Por Atualizado em 14/07/2009



Preste atenção, porque a coisa é séria. Especialistas em segurança acabam de divulgar que o Firefox contém uma falha ‘altamente crítica’, que coloca em xeque a segurança do computador. Basta visitar um site que contenha determinados códigos (em JavaScript), e o Firefox explode – sofre o chamado estouro de buffer, condição que permite deletar arquivos ou infectar o PC com vírus. É um problema muito grave; à altura das piores falhas do Internet Explorer.

E transforma a internet num verdadeiro campo minado. Afinal, ao entrar num site, você não tem como saber se ele tem o JavaScript venenoso. Ainda não há uma correção para o problema – a atualização do Firefox deve levar alguns dias, ou uma semana. Até lá, a solução para ficar protegido é instalar a extensão NoScript, que já tinhamos recomendado aqui no blog. Com essa extensão, você pode controlar quais sites têm autorização para rodar scripts no navegador (e páginas desconhecidas têm os scripts automaticamente bloqueados).

Instale o NoScript, ok? E passe a dica para os seus amigos que usam o Firefox.

Por Atualizado em 13/07/2009

Hoje a Microsoft mostrou, com todo estardalhaço, o Office 2010. O pacote, que vai ser lançado ano que vem, tem alguns recursos a mais -vai dar para editar vídeos no PowerPoint, por exemplo-, mas sua grande novidade está na internet: haverá uma versão online do Office, que vai rodar dentro do navegador, de qualquer PC ou Mac, e aparentemente será de graça.

É uma tentativa de combater o Google, cujos programas online têm feito sucesso, e também dar uma prejudicada no Chrome (que por algum motivo, qual será?, é o único dos grandes browsers que não será suportado pelo novo Office). Depois de fazer um charme suspense, a Microsoft acabou soltando um vídeo do Office Online. Parece bem bom, cheio de opções e com uma interface idêntica à do Office tradicional. Anos-luz à frente dos programas do Google.

Aliás, por falar nisso, a briga tá esquentando. Sabe o Chrome OS, aquele sistema operacional que o Google vai lançar para competir com o Windows? Acaba de ganhar a adesão da Intel. E no outro lado da guerra, o buscador da Microsoft começou a decolar – nos Estados Unidos, o Bing já tem mais acessos do que o twitter, o Digg e a CNN somados. Quem vai levar a melhor?

Por Atualizado em 08/07/2009



Pára tudo: o Google acaba de anunciar o lançamento da década. Ele está criando seu próprio sistema operacional – o Google Chrome OS. Por enquanto, as únicas informações oficiais são que o sistema é baseado no Linux, vai se destinar a netbooks – e chega no ano que vem. Caramba! E agora? Será que o Chrome OS
vai ameaçar o Windows? E o Ubuntu e o Mac, como ficam? Dêem seus palpites.

Por Atualizado em 06/07/2009

Finalmente! Conforme eu tinha prometido:

1. Gmail Notifier: chega de ficar pendurado no Gmail. Este acessório avisa, automaticamente, se chegaram novas mensagens – acende uma luzinha no painel do Firefox (e basta clicar nesse ícone pra entrar no seu Gmail).

2. TwitterFox: para acompanhar os updates dos seus amigos e postar no twitter, inclusive usando mais de uma conta. Simplesinho, mas funciona.

3. Xmarks: superútil pra quem usa mais de um computador (em casa e no trabalho, por exemplo), pois sincroniza automaticamente a sua lista de sites favoritos – você fica com todos os os bookmarks sempre à mão, em qualquer computador.

4. Remove It Permanently: alguma coisa te irrita nos seus sites preferidos? Um banner chato? Aquela propaganda fora de lugar? Livre-se do estorvo para sempre: é só clicar com o botão direito do mouse e selecionar "remove".

5. SkipScreen: dribla a fila de espera dos sites que impõem limites de download, como o RapidShare (quando não consegue furar a fila, ele espera no seu lugar – e começa o download assim que liberado).

6. Personal Menu: esconde a barra de menus do Firefox, economizando espaço na tela (quando/se você quiser acessá-la, é só apertar a tecla Alt).

7. NoScript: bloqueia a execução de scripts, ou seja, pedacinhos de código que podem fazer mal ao seu computador – só os sites que vc autorizar poderão rodar scripts. Torna o Firefox extremamente seguro (o browser mais seguro que existe).

8. FoxyTunes: navegar ouvindo música é o que há. Este acessório coloca uma barrinha que permite controlar o iTunes (ou o Media Player) direto no painel do Firefox.

9. DownThemAll!: baixa, com apenas um clique, todas as fotos da página que vc está acessando (aliás, por falar em fotos, confira tb o AutoSlideshow e o Cooliris).

10. iMacros: você sempre acessa os mesmos sites quando liga o computador? Eu sim. Mas com este acessório, fica muito mais fácil: vc pode programar o Firefox para que ele faça o trabalho sozinho – ele carrega todas as páginas, cada uma em sua abinha, com apenas um clique.

Bônus: Foxit Reader. Sabe quando você abre um arquivo PDF, e o navegador dá aquela travada? Acontece com todos os navegadores (é culpa do plug-in Adobe Reader). Instale o Foxit, e sua vida vai mudar – é o fim das engasgadas com PDF.

Bom, é isso. Experimentem, divirtam-se – e recomendem aos amigos que tb usam Firefox. Alguma extensão legal ficou de fora da lista? Problemas? Sugestões? Dúvidas? Deixem seus comentários aí embaixo. Abs!

Por Atualizado em 02/07/2009



Como vc talvez já saiba, o Pirate Bay foi vendido – uma empresa sueca chamada Global Gaming Factory (?) topou pagar US$ 7,8 milhões pelo site e assumir os rolos na Justiça. Os caras disseram que iriam legalizar o site, mas não explicaram como. Agora revelaram um plano bizarro: o novo The Pirate Bay vai dar dinheiro para os usuários! Além de afanar baixar músicas, filmes e tudo mais, vc seria pago por isso.

Como é possível?

A ideia é a seguinte. Para fazer downloads no novo site, será preciso instalar um novo software – o Peerialism, um BitTorrent com algo a mais. Graças a esse programa, os donos do Pirate Bay poderão usar parte da sua conexão (Virtua, Speedy etc) e vender a capacidade dela para empresas que estejam precisando de banda – como Twitter, CNN e Telefônica. Com o dinheiro arrecadado, eles pretendem pagar a indústria do entretenimento (tornando o Pirate Bay uma operação legal) e dar o resto do dinheiro para os usuários.

Que idéia mirabolante, né? Mas acho que tem chance de dar certo. Ou não? Você toparia doar sua conexão em troca dos downloads legalizados – ou simplesmente passaria para outros sites de torrent, como o Mininova? E a será que os nossos provedores, com suas redes já tão congestionadas, aguentariam a pressão?