GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

5 tecnologias reais da NASA que estão em ‘Perdido em Marte’

Dirigido por Ridley Scott e estrelado por Matt Damon, o longa “Perdido em Marte” (The Martian) estreou neste final de semana no Brasil. O filme é baseado no livro escrito por Andy Weir e conta a história de Mark Whatney, um astronauta que é deixado para trás durante uma evacuação de emergência no planeta vermelho. Presumido morto na Terra, ele se vê obrigado a fazer de tudo para sobreviver e tentar, de alguma maneira, voltar para casa.

Embora categorizado como ficção, o longa une sua narrativa a elementos reais da pesquisa científica em torno de Marte. A agência espacial americana (NASA) avaliou o filme e listou algumas das tecnologias que aparecem nas telonas, mas que já se concretizaram ou estão em pleno desenvolvimento por cientistas. Veja cinco delas abaixo:

LEIA: NASA encontra rios de água salgada em Marte

1 – O habitat

Abandonado em Marte, Whatney passa a maior parte do seu tempo no “The Hab”, uma espécie de casa que tem como objetivo proteger os exploradores das condições hostis e extremas de Marte. Na vida real, explica a NASA, o “The Hab”  se chama “Hera” (Human Exploration Reserach Analog) e é desenvolvido no Johnson Space Center.

Segundo a agência, “Hera” é um ambiente de dois andares que conta com espaços para descanso, trabalho e higiene. Lá, os cientistas realizam testes operacionais e cumprem jornadas de 14 dias para simular missões futuras em locais isolados. A pesquisa, continua a NASA, tem como objetivo avaliar o comportamento humano nestas condições e irá ainda ajudar no desenvolvimento destas operações.

LEIA: Muito além de Marte: na pior das hipóteses, existe vida em dez trilhões de planetas. E isso não é o mais importante

2 – A plantação

A agência explica que, hoje, os astronautas da Estação Espacial Internacional (EEI) recebem mantimentos por meio de naves desenhadas especificamente para este tipo de suporte. “Em Marte, humanos não poderiam confiar em missões para a entrega de suprimentos da Terra”, lembra a NASA. “Para sobreviver, eles terão de plantar”.

Pois os astronautas da agência já contam com um sistema capaz de produzir vegetais fora da Terra, o “Veggie”. Em agosto, a tripulação jantou um prato de alfaces vermelhas criadas por eles dentro da estação e foi a primeira vez na história que humanos comeram alimentos produzidos no espaço.

“Veggie” usa uma espécie de travesseiro de sementes que é então colocado sob luzes vermelhas e azuis emitidas por lâmpadas LED. O sistema cultiva vegetais desde 2014, mas as plantas eram trazidas de volta à Terra para análise.

A ideia daqui pra frente, explica a agência, é a de que “Veggie” expanda suas capacidades para que seja possível produzir outros tipos de alimentos que venham a atender as necessidades nutricionais dos humanos envolvidos em missões de longa duração.

LEIA: Depois da água, descobrimos a zoeira em Marte – e ela também nunca termina

3 – Trajes espaciais

Hostil que é, o ambiente de Marte exige que seus exploradores estejam vestidos de acordo com suas interpéries. Para tanto, no filme, Whatney passa seus dias no planeta vermelho em um traje bom o suficiente para realizar longas caminhadas. “Por isso, sua vestimenta deve ser flexível, durável e confiável”, avalia a NASA.

Há diferentes projetos de trajes em desenvolvimento pela agência, mas todos levam em consideração situações que envolvem desde as caminhadas até os movimentos para que o astronauta abaixe para pegar algo do solo.

Um desafio é lidar com a poeira da superfície do planeta. “O solo vermelho de Marte pode afetar os astronautas e os sistemas dentro de uma espaçonave se levado para dentro.” Para tanto, cientistas estudam uma maneira para que uma pessoa consiga entrar dentro da nave, deixando o traje do lado de fora.

LEIA: 10 imagens incríveis da NASA

4 – Rover

A ideia da missão da NASA para Marte é que, uma vez lá, a equipe fique por doze meses até que o alinhamento dos planetas permita que a jornada de volta para a Terra seja mais curta. “Isso dará aos astronautas tempo suficiente para que realizem seus experimentos e para que explorem os seus arredores.” Mas a ideia é que eles não fiquem limitados a uma distância certa.

Por esta razão, é necessário um veículo robusto, ágil e versátil, tal qual o usado por Whatney no filme. Hoje, a agência trabalha no Multi-Mission Space Exploration Vehicle (MMSEV), que já foi usado em missões similares. As tecnologias desse rover são desenvolvidas com o objetivo de que ele seja usado em todo o tipo de operação: desde o pouso em asteroides até a exploração em Marte e suas luas.

LEIA: Por que ainda não encontramos ETs? Perguntamos à NASA

5 – Água

Há poucas semanas, a agência anunciou ter descoberto evidências de que o planeta vermelho tem água líquida, elemento fundamental para a vida. “A presença de água em estado líquido na superfície de Marte aponta que há ambientes que são mais habitáveis do que se pensava”, disse um pesquisador na época do anúncio.

No filme, a equipe de astronautas não desperdiça uma gota sequer e dependem de uma espécie de estação de tratamento para garantir o abastecimento de água potável. Na vida real, isso é feito na EEI por meio do Water Recovery System.

Com esse sistema, explica a NASA, suor, urina e até lágrimas são recuperados e transformados em água pronta para o consumo. “O café de hoje será o café de amanhã”, brincou um astronauta da agência à bordo da EEI.

Mas a pesquisa nesse campo está longe de concluída. De acordo com a agência, outras tecnologias de tratamento de água estão em desenvolvimento e a ideia é a de que as tripulações de missões de longa duração sejam independentes do reposição de suprimentos da Terra.

LEIA MAIS:
Armageddon: NASA vai impactar um asteroide para evitar o apocalipse
Telescópio da NASA encontra 8 planetas capazes de abrigar vida
Pôr do sol em Marte é azul
Organismos terrestres podem sobreviver em Marte
Nasa estuda forma de viajar mais rápido que a luz