GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Este gráfico vai ajudar você a entender o aquecimento global

A temperatura global foi a maior da história pelo terceiro ano consecutivo. Entenda melhor o fenômeno.

Aquecimento Global 3 X 0 Mundo. A Agência Oceânica e Atmosférica dos EUA e a Nasa divulgaram ontem a primeira grande má notícia do ano: 2016 foi o ano mais quente da história recente (desde que as medições começaram as ser feitas, em 1879). O outro recordista tinha sido 2015. O outro, 2014. OU seja: a chapa está esquentando mesmo.

O relatório mostra que a temperatura média do planeta ficou em 14,8 graus C – 0,9 graus C acima da da média do século 20. E 0,004 graus C acima da média de 2015.

Seja como for, você já deve estar cansado de gráficos temáticos sobre aquecimento global. Em geral, eles costumam ser apenas traços ou colunas crescendo em ritmo apocalíptico. Mas Ed Hawkings, cientista climático da Universidade de Reading, na Inglaterra, resolveu desenhar o processo de uma forma um pouco diferente: ele usou círculos para mostrar que estamos vivendo em um mundo cada vez mais quente.

Para produzir o gráfico, Ed usou dados coletados pelo Centro de Previsão e Pesquisa do Clima de Hadley, que registram o clima desde janeiro de 1850 e seguem até março deste ano. Ele os organizou de forma que, quanto mais quente era a temperatura, mais próxima ela ficava das bordas. Parece simples, mas, na prática, auxilia bastante na percepção dos dados.

“Eu queria visualizar de diferentes formas as mudanças que temos visto, de modo a aprender como podemos melhorar nossa comunicação”, afirmou Hawkins ao site Mashable. “A espiral apareceu para representar a informação de maneira atraente e direta. A mudança de ritmo fica imediatamente óbvia, especialmente nas últimas décadas”, completa.

LEIA: Adolescentes processam Obama por causa do aquecimento global

A produção, ao ser postada no Twitter acabou viralizando no meio científico. Com os mais de 4,5 mil retweets, o desenho acabou inspirando outros cientistas à compartilharem informações com a mesma forma de visualização. Hawkins até mesmo passou a responder dúvidas a respeito da execução do gráfico. Seu Twitter transformou-se em um grande fórum de discussões.

Esses 2ºC localizados nas extremidades do gráfico são uma comparação com a temperatura do período pré-industrial e não foram escolhidos ao acaso. É o máximo de elevação que os termômetros terrestres devem atingir depois que nações do mundo inteiro prometeram unir forças para segurar as mudanças climáticas, ao assinar o Acordo de Paris – no ano passado. Apesar de não fazer muita diferença quando pensamos em colocar uma blusa para sair, esses dois graus seriam o suficiente para desestabilizar nossos conhecimentos sobre agricultura, por exemplo. O funcionamento do nosso planeta muda.

Se você prefere analisar os dados de maneira mais tradicional, o próprio Hawkins usou as mesmas informações para criar outros gráficos lineares, e também postou no Twitter. Vai de gosto.

LEIA TAMBÉM:
– Mudanças climáticas já afetam o desempenho no trabalho – e vai piorar
– Nível do mar pode subir até duas vezes mais do que o esperado
– O nível do mar não sobe tão rápido desde a fundação de Roma