Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Ter uma boa noite de sono deixa você menos medroso

Nada como uma noite bem dormida para lhe ajudar a superar experiências traumáticas. Foi o que mostrou um novo estudo norte-americano

Por Guilherme Eler
Atualizado em 26 out 2017, 18h39 - Publicado em 26 out 2017, 18h39

A ansiedade que surge na véspera de uma data importante pode fazer você dormir menos, ou então comprometer a qualidade do seu sono. Não precisa ficar chateado com seu cérebro: é um mecanismo que ele encontra para fazer você pensar mais sobre a situação ameaçadora — e, quem sabe, se preparar melhor para enfrentá-la.

O resultado, porém, acaba sendo o inverso. Dormir mal pode só aumentar seu medo de que tudo vai dar errado. É o que indica uma nova pesquisa da Universidade Rutgers, nos EUA: mais do que recarregar as baterias para o dia seguinte, uma noite bem dormida pode servir também para colocar uma pedra em experiências traumáticas.

Para chegar a essa ideia, os pesquisadores realizaram um experimento com 17 pessoas. Durante uma semana, elas tiveram seu tempo no colchão monitorado, graças a ajuda de ferramentas como um capacete para medir suas ondas cerebrais e um gadget que servia para acompanhar os movimentos dos braços — além da boa e velha planilha de controle, onde as cobaias tinham que anotar o total de horas dormidas.

O que mais interessava os pesquisadores era o tempo em que os voluntários passavam na fase REM (sigla em inglês para Movimento Rápido do Olhos), momento do sono em que mais estamos relaxados e experienciamos os sonhos. É nessa etapa, também, que a atividade do cérebro mais se aproxima da registrada quando estamos despertos. Cada participante registrou uma média normal de sono, entre 7 e 8 horas, com duas horas de fase REM.

Os pesquisadores, então, partiram para a segunda etapa, que consistia em induzir certo medo nas cobaias. Funcionava assim: cada um dos voluntários via uma sequência de imagens de quartos iluminados com cores diferentes. Quando olhavam para a foto com determinada cor (vermelho, por exemplo), eles tomavam um choque leve no dedo. Isso fez com que eles se tornassem receosos em relação a certas cores, que passaram a ser associadas com as incômodas descargas elétricas.

O resultado observado a partir da reação das cobaias, claro, favoreceu os dorminhocos. Quem dormia mais e melhor mostrou menor atividade em áreas do cérebro como a amígdala, região que controla o medo, além do córtex pré-frontal ventromedial e do hipocampo, responsáveis por fixar as memórias. Isso significa que os descansados estavam sendo menos afetados pelas experiências traumáticas — ou seja, se tornaram mais resilientes aos choques.

De acordo com os cientistas, a explicação está na presença de uma substância que só o sono saudável é capaz de fazer nosso corpo liberar naturalmente. Por contar com doses mais altas de norepinefrina, hormônio que regula aspectos como o humor e ansiedade, quem dormia bem conseguia passar ileso pela provocação chocante dos cientistas.

O estudo foi publicado no The Journal of Neuroscience.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.