GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Stephen Hawking: astro da ciência e da cultura pop

Filmes, seriados, desenhos animados, música... O cientista mais popular da história não era famoso apenas por seus estudos sobre o Universo

Já comentamos antes sobre a grandiosidade da carreira de Stephen Hawking. Apesar de sofrer com as limitações impostas pela esclerose lateral amiotrófica, o gênio da física encantou o mundo com suas pesquisas sobre cosmologia, a parte da astronomia que busca entender a origem e a natureza do Universo.

Hawking cativou professores e pesquisadores, e seu visual, aliado ao sintetizador de voz que usava para se comunicar, era irresistível para a mídia. Assim, o cientista aproveitou a fama e virou, ele próprio, ícone da cultura pop.

Separamos abaixo obras em que Hawking aparece, outras em que empresta sua voz, e algumas em que serviu como inspiração.

The Big Bang Theory

Na série de TV que retrata o cotidiano de cientistas atrapalhados na Califórnia, Stephen Hawking fez uma participação bem humorada, interpretando ele mesmo ao descobrir um erro de cálculo no trabalho publicado pelo personagem Sheldon Cooper. Quando Sheldon afirmou que não cometia erros, o físico retrucou: “está dizendo que EU cometo erros?”

Star Trek: The Next Generation

Ele aparece numa versão holográfica, jogando pôquer com Data, um dos personagens do programa. Ao visitar o estúdio de Star Trek, Hawking, que é um grande fã da série, pediu para sentar na cadeira de comandante da Enterprise. Foi atendido.

Last Week Tonight

John Oliver é um apresentador famoso por deixar os seus entrevistados desconcertados, mas neste caso foi o inverso que aconteceu. “Já que existem infinitos universos, em algum deles eu tenho um encontro com a Charlize Theron?”, o comediante perguntou. A resposta do físico foi categórica: não.

Late Night

O seu senso de humor rendeu até uma parceria com o comediante Jim Carrey em uma entrevista a Conan O’Brien. Eles fingiram uma ligação durante o programa em que ficam trocando elogios e tentam decidir quem é o verdadeiro gênio da dupla.

Os Simpsons

Stephen Hawking adorava seu personagem no desenho — e brincou que acreditava ser mais conhecido pela sua versão em Os Simpsons do que pelo trabalho na vida real. Ele mesmo já dublou três aparições no programa e manteve um action figure da sua versão cartoon em sua mesa de trabalho.

Futurama

Nesta paródia futurista, a cabeça de Stephen Hawking foi preservada em um frasco até o século 31. Ao acordar, ela ganha autonomia graças à tecnologia da época, e sai voando por aí atirando lasers nas pessoas durante brigas. Parece insano, mas ele aprovou a ideia.

 (Futurama/Reprodução)

Os Padrinhos Mágicos

Muitas crianças tiveram o primeiro contato com o cientista graças a sua participação neste cartoon. Nele, Hawking dava aula para alunos comuns do sexto ano, jogava tênis e até tinha um turbo radical na cadeira de rodas.

Hawking

Em 2004 a BBC fez um filme biográfico de menor repercussão, estrelado por Benedict Cumberbatch (Sherlock, Doutor Estranho) no papel principal — o que rendeu um BAFTA ao ator.

A Teoria de Tudo

O filme baseado em sua vida, e lançado em 2014, fez sucesso mundo afora. Foi indicado ao Oscar como melhor filme, e rendeu uma estatueta de melhor ator ao protagonista Eddie Redmayne. O próprio Hawking disse que esse seria o melhor retrato sobre sua vida já feito nas telas.

Uma Breve História do Tempo

O documentário sobre a trajetória do cientista é uma peça rara. Filmado em 1991 e dirigido pelo documentarista Errol Morris, é quase impossível de encontrar em DVD – só há copias em VHS. Mas a The Science Foundation disponibilizou uma cópia legalizada no YouTube.

“Keep Talking”

Até no rock ele se aventurou, numa parceria com a banda Pink Floyd, no álbum The Division Bell (1994). Na faixa “Keep Talking”, é possível ouvir a famosa voz sintética se misturando com riffs de guitarra e outros instrumentos. Ouça:

“The Voyage”

Em 1992, o Metropolitan Opera convidou o compositor americano Philip Glass para escrever uma ópera comemorando o 500º aniversário da chegada de Colombo ao Novo Mundo . O resultado foi “The Voyage”, cujo prólogo consiste em um cientista flutuando em uma cadeira de rodas discutindo sobre buracos negros. Uma clara alusão ao popstar da física.