Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

O homem solta mais puns que a mulher?

Pode até parecer que sim, afinal, muitos homens transformam essa estranha necessidade biológica em diversão. Mas na verdade não existe diferença no aparelho digestivo dos dois sexos. “O que acontece é que, por razões educacionais, a mulher geralmente não elimina flatos em público, enquanto o homem o faz até por esporte, desde a adolescência”, diz […]

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h11 - Publicado em 18 abr 2011, 18h51

Pode até parecer que sim, afinal, muitos homens transformam essa estranha necessidade biológica em diversão. Mas na verdade não existe diferença no aparelho digestivo dos dois sexos. “O que acontece é que, por razões educacionais, a mulher geralmente não elimina flatos em público, enquanto o homem o faz até por esporte, desde a adolescência”, diz o gastroenterologista Arnaldo Ganc, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A discrição feminina é até bacana, desde que isso não signifique reprimir demais os puns. Se eles não saem, os gases acumulados podem causar dores, cólicas e distensão abdominal. O problema é que haja nariz para agüentar tanta produção gasosa! Um adulto produz uma média de 1 litro de gases diariamente, eliminados em até 20 puns. O quê? Você nunca contou tantos num único dia?

Então saiba que eles provavelmente estão saindo de fininho, sem que você perceba, durante o seu sono… O curioso é que a maior parte do gás expelido, digamos, pela retaguarda é engolido durante as refeições ou pela ingestão de bebidas gasosas. A parte produzida por bactérias que agem durante a digestão representa só 1% da quantidade eliminada. O duro é que essa é uma minoria perigosamente malcheirosa. O mais fedido de todos os gases é o sulfídrico, produzido pela digestão de alimentos ricos em proteínas, como carnes e ovo. Outra matéria-prima “poderosa” é o feijão, que gera um tipo de açúcar difícil de ser digerido e que por isso acaba fermentando no organismo. Alimentos muito fibrosos (como verduras) ou ricos em carboidratos (como massas) até produzem mais gases que os exemplos acima, porém têm a grande vantagem de serem “inofensivos”, ou seja, dão origem àqueles disparos barulhentos (exatamente pelo excesso de gás), mas sem tanto cheiro. Um grande alívio para a atmosfera terrestre…

Publicidade