Clique e assine a partir de 8,90/mês

O Lórax existe na natureza. Ou quase

Cientistas acreditam que Dr. Seuss se inspirou em um macaco alaranjado quando criou o personagem

Por Felipe van Deursen - Atualizado em 14 fev 2020, 17h25 - Publicado em 1 ago 2018, 15h28
Reprodução/Reprodução

Um estudo publicado recentemente defende que Lórax, personagem infantil criado pelo escritor americano Dr. Seuss, foi inspirado em uma espécie de macaco africano. Desde que o bicho surgiu, nos anos 70, não se sabia exatamente o que ele era ou se se tratava de algo totalmente brotado da cabeça do autor.

Em “Dr. Seuss and the Real Lorax” (“Dr. Seuss e o Lorax real”), o antropólogo e biólogo evolucionista Nathaniel J. Dominy se juntou a um time multidisciplinar que contava com Donald E. Pease, especialista em literatura americana dos séculos 19 e 20, para mostrar as similaridades entre Lórax e o Erythrocebus patas, macaco que habita áreas semiáridas da África, da Gâmbia ao oeste da Etiópia. Dominy contou ao site Atlas Obscura que estava em um jantar e sentou-se próximo de Pease. Sabendo que estava ao lado de um respeitado especialista em Dr. Seuss, Dominy puxou papo sobre o patas, dizendo que sempre apresentava o macaco em suas aulas como “um macaco que Seuss criaria”. Pease lhe explicou que O Lórax foi escrito, justamente, em uma viagem ao Quênia. O estalo foi dado.

Com pelagem laranja e pelos faciais que podem não ser o bigodón do Lórax mas que lhe dão um ar peculiar, o patas tem outras semelhanças, além das físicas, com o personagem. O Lórax tem uma voz descrita como aguda e mandona e solta espirros chiados como serragem, enquanto o patas emite alertas semelhantemente chiados.

Os pesquisadores também analisaram as ilustrações do Lórax originais e as compararam com fotografias de primatas usando um algoritmo de análise facial. Concluíram que ele se aproxima do patas. Evidentemente, o estudo não afirma que o patas é o Lórax da vida real, mas que é provável que Seuss tenha se inspirado nele.

Eric Kilby/Flickr

CLÁSSICO INFANTIL

Theodore Seuss Geisel (1904-1991), o Dr. Seuss, escreveu mais de 60 livros infantis, entre eles Como O Grinch Roubou o Natal e O Gatola da Cartola. Em 1970, ele queria escrever um livro que levasse a causa ambientalista às crianças, mas o bloqueio criativo o impedia de avançar. Sua esposa, Audrey, decidiu levá-lo para uma viagem ao parque nacional do Monte Quênia, o colosso de 5.199 m que é o segundo pico mais alto da África. Lá, inspirado pela vista de uma manada de elefantes, ele escreveu 90% de O Lórax em uma tarde, ao lado de uma lista de afazeres, segundo suas memórias.

O livro foi publicado em 1971 e a fábula tornou-se símbolo da luta ambientalista (“Eu sou o Lórax e falo pelas árvores” inspirou muitos cartazes em manifestações). As novas gerações conhecem o Lórax também pela animação de 2012, com Danny DeVito dublando o personagem. Os fãs do autor já querem comprovação da existência da criatura que inspirou o Grinch. E aproveitamos para lembrar que o pé-grande continua sendo fictício.

Continua após a publicidade
Publicidade