Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O custo da imunidade

Ainda que decida pela opção mais barata, Brasil deve gastar ao menos R$ 5 bi – sem contar custos com seringas.

Por SUPER Atualizado em 18 dez 2020, 14h29 - Publicado em 10 dez 2020, 14h16

A corrida pela vacina contra a Covid-19 deve ter mais de uma vencedora. O preço, porém, pode pesar na escolha. 

O produto da Pfizer, primeiro a ser liberado para uso, custa R$ 100, e deve sair mais barato para países pobres – caso do Brasil. A vacina da Johnson & Johnson, que vem sendo testada por aqui, tem dose estimada em R$ 50.

A chinesa CoronaVac deverá custar R$ 53 a dose, e a da AstraZeneca/Oxford, R$ 20. Todas as candidatas – com exceção, possivelmente, da versão da J&J – demandam duas doses para garantir a eficácia prometida. 

Segundo epidemiologistas, uma vacina precisa imunizar 60% da população para frear a transmissão do vírus. Isso significa que o Brasil, ainda que decida pela opção mais barata, deve gastar ao menos R$ 5 bi – sem contar custos com seringas.

Continua após a publicidade
Publicidade