Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Publicidade

Tudo sobre vacina

O imunizante levou 34 anos para ser desenvolvido – e é o primeiro aprovado para uma doença parasitária.
A farmacêutica anunciou que seu imunizante é seguro e eficaz para a faixa etária, e que enviará pedidos para uso emergencial às agências regulatórias. O estudo ainda precisa ser revisado por outros cientistas.
Ele contém genes de uma bactéria - e protege contra a doença que ela provoca, causadora de 140 mil mortes por ano no mundo
Alemanha, França, Israel, Reino Unido e EUA começam a oferecer reforço da vacina contra a Covid, mesmo sem evidências científicas de que seja realmente necessário; entenda por que eles estão fazendo isso
Trabalho acompanhou 10 mil pessoas na China e registrou 77% de efetividade contra infecção por essa variante do coronavírus; proteção contra Covid grave foi de 100%, mas isso se deve a uma limitação do estudo - e o número real é menor; entenda por que.
O lado meio cheio do copo: no Brasil, mesmo com um presidente que se recusa a tomar, só 7% mantêm o pensamento negacionista.
A tecnologia, que se mostrou segura e eficaz contra a Covid-19, pode servir como base para a criação de outros imunizantes. Entenda.
Reino Unido vai aplicar terceira dose da vacina em pessoas acima de 50 anos
Ciência

A terceira dose e o futuro da vacinação no Brasil e no mundo

Por Bruno Vaiano Atualizado em 8 jul 2021, 11h25 - Publicado em 8 jul 2021, 11h23
A proteção duradoura que as vacinas começam a demonstrar dá esperança de que reforços sejam necessários apenas em grupos de risco. Mas o surgimento de novas variantes pode exigir a reformulação dos imunizantes – e novos rounds anuais. 
Os resultados de um estudo preliminar indicam que o imunizante protege contra casos graves e moderados da doença, além de combater variantes. Saiba detalhes sobre a vacina.
O movimento é tão antigo quanto as próprias vacinas. Entenda como ele surgiu, reinventou seus argumentos e ganhou força nas últimas décadas.
Mesmo antes da morte que levou a Anvisa a suspender a aplicação do imunizante em grávidas, ela já tinha indicação restrita para esses casos. Motivo: há poucos dados sobre a segurança da vacina em gestantes
Nova vacina usa uma tecnologia que o instituto já domina, e por isso produção 100% nacional pode começar antes; entenda diferenças entre os dois imunizantes 
Polêmica gira em torno da presença de RCAs, principal argumento da Anvisa para vetar o imunizante; agência diz ter se baseado em documento do próprio Instituto Gamaleya; entenda desdobramento do caso
Agência negou autorização para a vacina no Brasil e afirmou que ela contém vírus replicante, uma falha de segurança grave; russos dizem que decisão foi política e pedem ação do STF para liberar o imunizante, aprovado em 62 países; controvérsia está ligada a diferença entre norma russa e americana
O imunizante é o primeiro a alcançar a eficácia almejada pela OMS. Entenda por que é tão difícil desenvolver uma vacina contra a doença que mata 400 mil pessoas por ano.
1) O vírus não será erradicado. 2) A vacinação de hoje é só a primeira de muitas. 3) A grama dos gringos não é tão verde quanto parece.
01-04_vacinaBichinhos_SITE
Ciência

Rússia é o primeiro país a aprovar uma vacina contra a Covid-19 para animais

Por Maria Clara Rossini Atualizado em 1 abr 2021, 17h49 - Publicado em 1 abr 2021, 17h46
O imunizante foi testado em cães e gatos – mas o seu principal alvo são bichos criados em fazendas de pele.
Décadas antes dos experimentos de Edward Jenner, a aristocrata britânica difundiu a técnica da inoculação, que aprendeu na Turquia – mas foi tida como ignorante por boa parte da sociedade.
O ensaio clínico contou com 2.260 voluntários, dos quais apenas 18, que haviam recebido o placebo, desenvolveram a Covid-19 de forma sintomática. Nenhum jovem vacinado adoeceu.
Publicidade