Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Perda de olfato e paladar por covid é reversível, diz estudo de longo prazo

88 italianos que tiveram os sentidos comprometidos no primeiro ano de pandemia estão, lentamente, recuperando a capacidade de sentir gostos e cheiros.

Por Bruno Vaiano Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 17 nov 2023, 15h44 - Publicado em 17 nov 2023, 15h42

Um estudo da Universidade de Trieste, na Itália, acompanhou 88 pacientes que contraíram covid-19 em 2020 e desde então não recuperaram completamente o olfato e o paladar. Os pesquisadores descobriram que, embora seja persistente, o problema não é permanente – e que o paladar, em geral, volta antes do olfato. O estudo está publicado no periódico especializado JAMA Otolaryngology.

Usando um teste chamado SNOT-22 – feito originalmente para avaliar as consequências físicas e emocionais de problemas como rinite e sinusite–, os pesquisadores avaliaram que o comprometimento dos dois sentidos caiu de 64,8% na fase aguda da doença para 31,8%, 20,5% e depois 15,9% ao longo de três avaliações anuais consecutivas.

Esse teste já foi adaptado para mais de 70 idomas: calcula-se que 93% da população mundial fale alguma língua que tem um questionário SNOT. O “22” se refere ao número de perguntas, há que também há versões com 16, 20 e 25. E a sigla, que significa sino-nasal outcome tests (teste de resultado sino-nasal), é uma brincadeira: a palavra snot, em inglês é um termo engraçadinho para “catarro”.

Uma outra bateria de testes apelidada de Sniffin’ Sticks – “cheirando palitinhos”, em inglês – mostrou que a disfunção no olfato caiu de 40,9% para 27,3% e, depois, 13,6% ao longo de três anos de avaliação. Esse teste emprega objetos em forma de caneta que liberam cheiros de diferentes tipos e intensidades. Eles avaliam a capacidade de detectar e também diferenciar odores. 

O teste equivalente para paladar, denominado Taste Strips, forneceu as porcentagens 26,1%, 13,6% e 11,4%.

Essa é uma descoberta animadora, já que a perda permanente de olfato e paladar tem um impacto gigantesco sobre a qualidade de vida e segurança de suas vítimas: não só impedem o prazer ao comer e beber como tornam impossíveis pequenas e grandes necessidades cotidianas que vão de perceber as fraldas sujas de um bebê a notar um vazamento de gás de cozinha.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.