Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Publicidade
Mulher Cientista Por Maria Clara Rossini Todos as semanas, a repórter Maria Clara Rossini entrevista uma pesquisadora brasileira e explica seu trabalho. Acompanhe aqui e no Instagram da Super.
A #MulherCientista desta semana – que já passou um mês acampando no continente gelado – investiga o resfriamento da Terra no passado para entender o aquecimento no presente.
A #MulherCientista desta semana usa engenharia genética para criar Aedes aegypti que boicotam a reprodução da espécie – controlando as doenças que ela transmite.
A #MulherCientista desta semana é uma matemática que usa probabilidades para fazer a ponte entre o mundo microscópico e aquilo que vemos a olho nu.
O genoma de todo ser vivo é picotado antes de ser lido. A #MulherCientista desta semana usa algoritmos para juntar os pedaços de volta na ordem certa.
A #MulherCientista desta semana desenvolveu um dispositivo que identifica Salmonella em 20 minutos – o método tradicional pode levar até 48 horas.
Faz 40 anos que Sonia Guimarães, a #MulherCientista desta semana, começou a estudar os materiais que estão dentro do seu celular.
A #MulherCientista dessa semana analisa características dos ossos para reconhecer as vítimas. Ela já revelou a identidade de dois perseguidos políticos mortos durante a ditadura militar.
A #MulherCientista dessa semana é responsável pelo Sistema de Alerta Hidrológico da Amazônia. O sistema avisa, com meses de antecedência, como as comunidades locais devem se preparar para as cheias dos rios
A #MulherCientista dessa semana usa camundongos fêmeas para estudar como os transtornos neurológicos são afetados pelo ciclo feminino – algo que pode levar a medicamentos mais eficientes para mulheres.
A #MulherCientista dessa semana começou a carreira estudando esse ator renegado das nossas defesas naturais – e hoje gere verbas de pesquisa na Universidade de Notthingham
A #MulherCientista dessa semana tenta entender como esses gigantes cósmicos influenciaram a formação de estrelas na juventude do Universo.
Após estudar raias que tem leite e útero como se fossem mamíferos, a #MulherCientista desta semana analisou o sangue de tubarões que moram perto de Miami – e viu que eles têm uma dieta típica de fast-food.
Com apenas 26 anos, Daphne Cukierman já participou da síntese de 54 compostos candidatos ao combate do distúrbio degenerativo.
A #MulherCientista desta semana é uma pesquisadora do INCA que procura entender o que acontece dentro da célula tumoral – e por que os tratamentos às vezes não funcionam.
A #MulherCientista desta semana lê o DNA de pacientes para aconselhá-los – e, em 2020, participou do desenvolvimento de um teste nacional para o coronavírus.
A #MulherCientista dessa semana é uma farmacêutica que busca tratamentos inovadores para queimaduras – e bola maneiras de testá-los sem abusar de bichinhos vivos.
A #MulherCientista dessa semana já desvendou adaptações evolutivas na população mexicana, a rota de expansão dos primeiros nativos no Brasil e as ondas migratórias dos primeiros humanos na América.
A #MulherCientista dessa semana investigou mecanismos que não fazem parte do DNA, mas controlam a expressão dos genes – e têm papel importante nos tumores.
A #MulherCientista desta semana percorre cavernas pela América do Sul coletando fósseis e lendo a Pré-História nas formações rochosas que a cercam.
Cação é um termo guarda-chuva, que se refere a qualquer tipo de tubarão ou raia. A #MulherCientista de hoje lê o genoma dos filés para saber se o consumidor está comprando gato por lebre – ou comendo uma espécie ameçada.
Publicidade