Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Fornada cósmica: astronautas da ISS assam biscoitos no espaço

Alimentos voltaram à Terra no começo do ano para serem examinados. Ainda não se sabe se é seguro comê-los.

Por Guilherme Eler 24 jan 2020, 18h22

Comida de astronauta não costuma ser sinônimo de refeição saborosa. Para diminuir o peso da nave e prolongar a validade dos suprimentos, a maior parte do rango costuma vir desidratada da Terra – e serve mais para manter as necessidades nutricionais de quem vai a bordo do que para proporcionar experiências gastronômicas. É por isso que, como você pode imaginar, astronautas não têm o hábito de preparar refeições inteiras em gravidade zero. No máximo, adicionam água quente e esquentam seus alimentos em fornos micro-ondas.

Mas não dá para dizer que eles não estejam tentando incrementar as coisas. No mês passado, astronautas da ISS (Estação Espacial Internacional), em um experimento inédito, provaram que dá para fazer cookies de chocolate no espaço. Foi a primeira vez que uma comida à base de ingredientes que não estavam pré-cozidos – ou melhor dizendo, crua – foi assada fora da Terra.

Quem finalizou a receita foram o italiano Luca Parmitano, astronauta da ESA (Agência Espacial Europeia) e a americana Christina Koch, representante da Nasa. “Preparamos biscoitos especiais e leite para o Papai Noel este ano”, disse Koch em sua conta do Twitter.

Os astronautas testaram, ao todo, cinco biscoitos congelados. A ideia era avaliar qual o tempo e a temperatura ideais para o preparo. O forno utilizado era um modelo elétrico especial, criado para funcionar em gravidade zero. O equipamento, assim como materiais para serem cozinhados, partiu dos Estados Unidos em uma nave de suprimentos em novembro de 2019.

Na Terra, biscoitos do tipo costumam ficar prontos com 20 minutos de forno. O primeiro biscoito, assado no espaço por 25 minutos, porém, ficou cru. Os cientistas tiveram os melhores resultados deixando a mistura cozinhar por 120 ou 130 minutos. O quarto disco de massa, que demorou duas horas para ficar pronto, foi eleito o mais dourado e apetitoso.

Mas, para além da aparência, a pergunta que fica é: eles ficaram saborosos? Ninguém sabe ainda. Tudo porque a produção não ficou por lá. Antes de virarem sobremesa para os integrantes da ISS, é preciso comprovar se os biscoitos são seguros para consumo. Por ora, os doces permanecem congelados em Houston, nos Estados Unidos, há duas semanas, após terem chegado à bordo de uma cápsula da SpaceX.

Uma coisa é fato: se quisermos passar cada vez mais tempo no espaço – ou fazer missões mais longas – precisaremos dominar técnicas para cozinhar em gravidade zero. Cultivar alimentos e preparar comidas mais complexas pode excluir a necessidade de lançar foguetes de suprimentos esporádicos para abastecer quem está fora da Terra. Além de agradar um pouco as papilas dos astronautas, cansadas de comida ressecada, é claro.

Continua após a publicidade
Publicidade