Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Publicidade

Tudo sobre Vacinas

Descoberta na África do Sul, ela reúne mutações das variantes Alfa, Beta, Gama e Delta. Mas ainda é rara, e pode continuar sendo. O maior perigo não é a C.1.2 em si, é o que ela representa: o abandono vacinal dos países mais pobres. Entenda por que isso coloca o mundo inteiro em risco.
Resumão variante lambda
Ciência

Variante Lambda: o que sabemos sobre ela até agora?

Por Luisa Costa Atualizado em 27 ago 2021, 18h07 - Publicado em 27 ago 2021, 18h03
A nova cepa do coronavírus surgiu no final de 2020 e, desde então, tem se espalhado pela América do Sul. Saiba quais os possíveis riscos que ela oferece – e se as vacinas atuais podem nos proteger.
Diminuir de 12 para 8 semanas o intervalo da Pfizer e da AstraZeneca, como o Ministério da Saúde anunciou que irá fazer, tudo bem. Acelerar mais do que isso, para 3 ou 4 semanas, melhor não. Veja o que mostram os estudos sobre a antecipação de segunda dose.
Recomendação é de cientistas da USP, que testaram os anticorpos e as células T presentes em indivíduos de várias idades após a aplicação da Coronavac, e encontraram menor resposta imunológica nessa faixa etária; queda é maior em homens do que em mulheres
Em menos de um mês, Delta saltou de 0% para 23,5% dos casos, segundo levantamento genômico do Instituto Adolfo Lutz; alta prevalência da variante Gama no Brasil levantou a hipótese de que ela poderia frear a ascensão da Delta - mas isso não está ocorrendo
A variante Delta está acelerando nos EUA e na Inglaterra. Mas, mesmo assim, esses países decidiram abandonar as máscaras e as restrições sanitárias. E isso pode ser bem perigoso. Entenda por que – no primeiro vídeo da série Afinal de Contas.
Abandono das máscaras e das restrições no Reino Unido aumenta risco de surgirem mutações no coronavírus, tornando-o resistente às vacinas; país vive alta de casos, com forte expansão da variante Delta; app do governo envia ordens de quarentena para centenas de milhares de pessoas, causando momentos de caos
atleta vacina
Sociedade

Olimpíadas: 20% dos atletas devem competir sem vacina. Por opção.

Por Rafael Battaglia Atualizado em 22 jul 2021, 22h44 - Publicado em 19 jul 2021, 19h26
O Comitê Olímpico não obriga competidores a se imunizarem. Apenas 75% da delegação brasileira viajou completamente vacinada.
Pfizer e AstraZeneca oferecem alta proteção contra a nova variante, mas somente após a segunda dose; exames revelam que carga viral em infectados pela Delta chega a ser 1.260 vezes maior do que com a cepa original, de Wuhan
Pfizer, Moderna, Janssen e AstraZeneca oferecem alta proteção contra casos graves e hospitalização pela nova variante do coronavírus. Mas não impedem que ela seja transmitida - e é justamente aí, num momento em que EUA e Reino Unido retomam a vida pré-pandemia, que mora o perigo. Entenda por que.
Para a saúde pública, não faz sentido deixar gente sem a dose número dois para ampliar a quantidade de pessoas que receberam a dose número um.
Reino Unido vai aplicar terceira dose da vacina em pessoas acima de 50 anos
Saúde

CureVac: nova vacina alemã pode acelerar imunização contra a Covid-19

Por Rafael Battaglia Atualizado em 24 Maio 2021, 13h42 - Publicado em 6 Maio 2021, 14h16
Ela usa a mesma técnica que as vacinas da Pfizer e da Moderna, mas com uma diferença: é mais fácil de armazenar – e transportar.
Sem a necessidade de importar insumos, a expectativa é produzir 40 milhões de doses do imunizante até o fim do ano. Saiba como ele funciona.
A baixa expectativa de vida e os atrasos sociais seriam apenas algumas das diversas consequências de um mundo sem vacinas. 
B.1.525 possui a mutação E484K, já presente nas cepas de Manaus e da África do Sul, que reduz eficácia das vacinas - mas não tem a alteração que aumenta a transmissibilidade do vírus
Até agora, mais de 12 milhões de vacinas já foram administradas. A estimativa vem do Our World in Data, plataforma mantida pela Universidade de Oxford.
O início da vacinação já é um marco na história da humanidade. Mérito do esforço conjunto entre os agentes, e mais ainda da competição entre eles.
Países com 14% de toda a população mundial já encomendaram 53% de todas as vacinas, diz relatório. O Canadá já comprou doses o suficiente para vacinar toda sua população cinco vezes.
Rússia espera aprovação da Anvisa para vacina contra Covid-19 em dezembro
Ciência

Rússia espera aprovação da Anvisa para vacina contra covid-19 em dezembro

Por Maria Clara Rossini Atualizado em 19 out 2020, 17h45 - Publicado em 19 out 2020, 15h41
O presidente do Fundo de Investimento Russo, Kirill Dmitriev, participou de uma coletiva de imprensa sobre a produção e distribuição da vacina na América Latina. Saiba as novidades.
Tudo depende de como o patógeno vai entrar no seu corpo: atenuado, morto ou só um pedacinho.
Publicidade