Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

7 missões espaciais para ficar de olho em 2022

O ano de 2021 foi marcado por muitas idas ao espaço, e 2022 não deve ficar para trás. Confira alguns dos principais eventos do ano.

Por Luisa Costa Atualizado em 6 jan 2022, 20h17 - Publicado em 6 jan 2022, 20h14

O ano de 2021 foi marcado por grandes eventos no espaço, como o envio de civis à órbita terrestre, uma sonda da Nasa “tocando” o Sol e o lançamento do tão esperado Telescópio Espacial James Webb. Este ano também promete ser agitado. Se você não quiser perder nenhuma missão espacial importante, confira alguns eventos para ficar de olho.

Artemis 1

A Nasa pretende lançar, entre março e abril deste ano, a missão Artemis 1. O foguete Space Launch System (SLS) deve fazer um voo de teste não tripulado que levará a espaçonave Orion até a órbita lunar – e, depois, de volta à Terra.

O SLS tem 101 metros de altura e é o foguete mais poderoso que a Nasa já construiu. Por enquanto, ele está passando por testes no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, para garantir que seus componentes e a espaçonave estão se comunicando com os sistemas terrestres como esperado.

Essa é a primeira etapa da missão Artemis da Nasa, que planeja levar a primeira mulher à Lua em 2024 e marcará o retorno de uma nave tripulada ao satélite natural após quase cinco décadas.

Starship

Este ano, a SpaceX planeja colocar uma espaçonave em órbita. O veículo em questão é a Starship, e seu lançamento está programado para março. A ideia é que ela fique em órbita por um breve período de tempo antes de reentrar na atmosfera terrestre e aterrissar no Oceano Pacífico.

A Starship é projetada para ser totalmente reutilizável e substituir os veículos de lançamento Falcon 9 e Falcon Heavy da Space X, assim como a cápsula Dragon. A empresa espera utilizá-la para futuras missões tripuladas a Marte.

JUICE

A JUICE (Jupiter Icy Moons Explorer) é uma missão da Agência Espacial Europeia (ESA) cujo lançamento está programado para maio de 2022. A missão vai explorar três das maiores luas de Júpiter – Ganimedes, Calisto e Europa – e deve chegar à órbita do planeta em 2029.

Mas não será preciso esperar tanto para ter notícias do planeta: a espaçonave Juno, da Nasa, orbita Júpiter desde 2016 e vai oferecer imagens de perto da lua Europa em setembro, quando sobrevoar a superfície lunar a apenas 335 quilômetros de distância.

Continua após a publicidade

Compartilhe essa matéria via:

Psyche

Em julho, a missão Psyche, da Nasa, será lançada a bordo de um foguete Falcon Heavy, da Space X. O objetivo é estudar um grande asteroide metálico chamado Psyche, que orbita o Sol (sua trajetória passa entre Marte e Júpiter). Ele parece ser feito principalmente de ferro e pode ser o núcleo de protoplaneta – ou seja, a fase inicial na formação de um planeta.

A chegada da missão está prevista para 2026, e a ideia é que a sonda espacial forneça aos cientistas as primeiras imagens próximas desse objeto. A missão deve oferecer pistas sobre a origem dos núcleos planetários e a evolução de planetas.

Luna 25

Também está programado para julho o lançamento da Luna 25, primeira missão da Rússia à superfície da Lua desde 1976 – e primeira missão a pousar no Polo Sul do satélite. A Luna 25 seria lançada em outubro de 2021, mas foi adiada por conta de problemas com o sistema de pouso da espaçonave.

A missão vai explorar o solo e a exosfera da Lua a partir de nove instrumentos científicos que serão levados a bordo da espaçonave, incluindo um braço robótico para coletar amostras de solo. 

Luna 25 faz referência ao Programa Luna, que consistiu em uma série de missões espaciais enviadas à Lua pela União Soviética entre as décadas de 1950 e 1970. 

DART

Em setembro, a missão DART (Double Asteroid Redirection Test ou “teste de redirecionamento de asteroide duplo”, em português) deve atingir seu alvo: o asteroide Dimorphos. É a primeira tentativa da NASA de alterar a órbita de um asteroide e mudar sua rota.

A missão foi lançada em 23 de novembro de 2021. Ela foi projetada para testar uma estratégia de defesa planetária. A ideia é que o experimento forneça dados para possíveis situações de emergência no futuro.

Estação Espacial Chinesa

A construção da Tiangong, Estação Espacial Chinesa (CSS, na sigla em inglês), começou em 2021, e a previsão é que ela seja finalizada este ano. Para isso, um módulo de laboratório chamado Wentian será lançado para acoplar ao módulo Tianhe – o principal e primeiro da estação a ser enviado para a órbita da Terra. A expectativa é que, no fim do ano, uma terceira peça (o módulo Mengtian) seja enviado para completar a CSS.

Continua após a publicidade

Publicidade