Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Bruno Garattoni

Por Bruno Garattoni
Vencedor de 15 prêmios de Jornalismo. Editor da Super.
Continua após publicidade

Cápsula volta à Terra trazendo remédio fabricado no espaço

EUA finalmente autorizam o retorno de microlaboratório da empresa Varda Space Industries - que ficou oito meses em órbita, e carrega um medicamento produzido na ausência de gravidade 

Por Bruno Garattoni Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 fev 2024, 16h05 - Publicado em 23 fev 2024, 15h59

EUA finalmente autorizam o retorno de microlaboratório da empresa Varda Space Industries – que ficou oito meses em órbita, e carrega um medicamento produzido na ausência de gravidade 

A cápsula, que se chama Winnebago-1, caiu no deserto de Utah às 16h40 da última quarta-feira (18h40 de Brasília). Dentro dela, que pesa cerca de 100 kg, há cristais de ritonavir, um medicamento que desde os anos 1990 é usado para tratar a infecção pelos vírus da Aids e da hepatite C. Mas não qualquer ritonavir: trata-se do primeiro remédio sintetizado no espaço. 

A missão foi conduzida pela startup americana Varda Space Industries, que construiu a cápsula. Ela contém um minilaboratório robótico capaz de misturar substâncias para criar novos compostos. A suposta vantagem disso é que no espaço, como quase não há gravidade, as reações químicas tendem a formar cristais maiores e com menos defeitos. 

Em tese, a fabricação no espaço pode render medicamentos mais puros e potentes. Essa possibilidade já vem sendo estudada pela indústria farmacêutica – em 2019, a americana Merck (MSD) fez uma experiência na Estação Espacial Internacional para avaliar o efeito da microgravidade sobre o anticorpo monoclonal pembrolizumab (que é comercializado com o nome Keytruda, e usado para tratar câncer). 

A cápsula da Varda Space foi ao espaço em 12 de junho do ano passado, num foguete da SpaceX, e deveria ter voltado à Terra em setembro – mas, inicialmente, os EUA vetaram o retorno. A Força Aérea americana alegou que a empresa não havia atendido a todos os requisitos de segurança.

Agora, ela fez isso – e a Winnebago-1 obteve permissão para reentrar na atmosfera e voltar à Terra. A região escolhida para ela cair, em Utah, é uma área militar (antes de se acertar com as autoridades americanas, a Varda chegou a assinar um acordo para fazer o pouso na Austrália). A empresa vai analisar os cristais para ver se deu tudo certo, e o ritonavir espacial tem a ação farmacológica esperada. 

A Varda pretende começar a produção de medicamentos em escala comercial, com cápsulas indo e voltando do espaço todos os meses, em 2026. A tecnologia também pode servir para a fabricação de semicondutores (chips de computador). 

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.